Comunidades Quilombolas serão beneficiadas com cisternas de 1ª água

Uma parceria entre o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH), Ministério da Cidadania (MC) com a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura de Alagoas, vai garantir a construção de cisternas de primeira água para as comunidades Quilombolas no semiárido alagoano.

Com investimentos de R$ 775 mil, vai possibilitar a construção de 219 cisternas de placas com capacidade para 16 mil litros, vão beneficiar as comunidades garantindo assim uma melhor qualidade de vida. Os recursos para o Programa de Cisternas é proveniente do Ministério do Desenvolvimento Humano, são específicos para os povos de comunidades tradicionais, nesse caso os Quilombolas.

Para alinhar as estratégias de execução entre os técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri) e as instituições credenciadas que vão construir as cisternas, foi feito uma oficina com os personagens envolvidos nesta ação.

Segundo Isabele Bachtold, da coordenação Geral de Acesso à Água do Ministério da Cidadania, o estado de Alagoas foi contemplada por ter uma grande demanda nas comunidades tradicionais (Quilombolas). “A oficina com técnicos de campo, coordenadores das entidades e presidentes das instituições serviu para alinhar todas as informações necessárias para a execução do convênio, que tem vigência até fevereiro de 2020”.

Sílvio Bulhões, secretário da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, destaca a importância das cisternas para as comunidades Quilombolas de Alagoas, já que vai facilitar o acesso à água para consumo próprio e produção de alimentos por meio de tecnologias simples e de baixo custo.

Para o superintendente de Inclusão Produtiva da Seagri, Luciano Barros, o encontro com os técnicos do ministério e do Governo de Alagoas serviu para discutir as diretrizes, bem como orientar à entidade parceira e as executoras, sobre a metodologia a ser utilizada para escolha dos beneficiários.

Os critérios de priorização para as pessoas que serão atendidas pelo Programa, devem ser levadas em consideração as comunidades quilombolas que são certificadas pela Fundação Palmares-FCP/MinC, famílias inscritas no Cadastro Único, onde será feita uma avaliação da vulnerabilidade social, e famílias chefiadas por mulheres com filhos, com maior quantidade de pessoas por domicílio.

Entre as cidades que serão contempladas pelo Programa de Cisternas, de acordo com duas entidades credenciadas (Carpil e Instituto Terra Viva) estão Palmeira dos Índios, Olho D’Água do Casado, Delmiro Gouveia, Quebrangulo, Taquarana, Craíbas, Estrela de Alagoas, Traipú, entre outras.

Ascom – 19/08/2019

(Visited 3 times, 1 visits today)